sexta-feira, 16 de maio de 2014

Tipo de praga determina como proteger melhor seu jardim

Manter o jardim ou a horta saudável ainda é a melhor medida para evitar as pragas mas não é o suficiente

 e longe, folhas verdinhas. De perto, inúmeros pontinhos brancos ou amarelos. Se o seu jardim ou sua horta está assim, é hora de planejar-se para combater as pragas. Caso contrário, em algum tempo nem de longe você verá folhas verdinhas em seu canteiro

 Os inimigos mais comuns são pulgões, cochonilhas e insetos como formigas, lagartas e vaquinhas (um pequeno besouro). Fungos, outros insetos e mesmo ácaros também podem querer fazer de suas plantas um lugar de refeição.

 

Cada um desses agentes pede um tipo de tratamento e uma substância diferente para sanar o problema. Vale conversar com um profissional – paisagista, agrônomo ou funcionário de viveiro de plantas – para verificar qual é a melhor solução para seu jardim ou sua horta (veja algumas dicas na galeria de fotos). O tipo de combate depende também do tamanho da área e da intensidade com que suas plantas foram atacadas.
Nos casos graves, basicamente pode-se usar inseticida orgânico ou sintético, pouco ou muito tóxico. Em hortas e pomares, prefira o orgânico, que não deixa resíduos tóxicos nos alimentos, sugere a engenheira agrônoma Regina Calçada, de Frutal (MG). Quando a infestação está mais forte, prefira produto sintético mais potente no jardim. “Mas só se o morador não tiver animais ou crianças, já que os produtos são tóxicos e, se ingeridos, podem levar à morte”, alerta Regina.
A vantagem dos defensivos orgânicos é que eles não deixam resíduo. A desvantagem é que, por serem mais leves, devem ser aplicados com mais frequência – praticamente semanal, contra a rotina quinzenal ou até maior do produto industrializado. “A ação do defensivo orgânico depende também do clima. Se chover, ele tem que ser reaplicado”, afirma a engenheira agrônoma. A periodicidade de aplicação do produto sintético varia de acordo com o agente que se busca combater (se é inseto, fungo...). Geralmente, a frequência e quantidade de aplicação vêm indicadas na embalagem do produto.
Para prevenir o aparecimento delas, o segredo é manter as plantas bem tratadas. “Espécies saudáveis são mais resistentes”, explica Regina. Mesmo assim, convém fazer pequenas “rondas” de vez em quando, à procura de bichinhos ou manchas esbranquiçadas nas folhas.
Se a infestação estiver no início, não é necessário usar agrotóxicos fortes. Invista em preparados com folhas de nim, fumo, pimenta malagueta ou até sabão. Eles têm propriedades que expulsam qualquer espécie de bicho indesejado.

Principais pragas em hortas e jardins

lagarta rosca

Lagarta-rosca: De coloração parda, corta as plantas rente a terra e é encontrada quando se cava o solo ao redor das plantas.


pulgão

Pulgão: Pequeno inseto de coloração variada que ataca majoritariamente brotações novas.

cochonilha

Cochonilha: Pequeno inseto de coloração variada, pode ter carapaça ou não. Ataca preferencialmente a face dorsal das folhas. As partes afetadas ficam retorcidas, prejudicando o desenvolvimento da planta.

ácaro

Ácaro: Invisível a olho nu. Seu ataque é notado pela presença de teias. Prioriza a face dorsal das folhas, brotações novas, flores e frutos, que se tornam retorcidos e amarelados.

vaquinha

Vaquinha: Inseto de cor verde com listras amarelas. Come as folhas, prejudicando o crescimento da planta.

lesma


Lesma, caracol e tatuzinho: Têm corpo mole e deixam rastro brilhante por onde passam. Durante o dia, são encontrados debaixo de tábuas, tijolos e entulhos deixados na horta.

fonte:  http://vidaeestilo.terra.com.br

 

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário